Entenda o Cyber Ataque a Sony

O que muitos tem considerado como o maior Cyber ataque em solo norte americano da história, o ataque a Sony Pictures, tem tomado proporções gigantescas e perigosas.

Entenda o caso

No fim do mês de novembro os sistemas da Sony Pictures foram invadidos por um grupo de Hackers que se auto intitulam “Guardians of Peace”(GOP). A Sony reconheceu o ataque em 24 de novembro e ainda disse estar sendo ameaçada e chantageada. Em 1º de dezembro foram vazados ao menos 5 filmes, entre eles “Corações de ferro”, com Brad Pitt, “Mr. Turner” e “Annie”, e várias informações da base de dados do estúdio, como e-mails trocados pelo alto escalão da Sony.

De início, muitos não viram problemas nas informações vazadas, principalmente os fãs de homem aranha, que começaram a se animar com a possibilidade de herói se juntar aos Vingadores. Em 5 de dezembro foi a público os dados de funcionários e ex-funcionários da Sony(cerca de 47 mil pessoas), como números da previdência social, cartões de crédito, dados de passaportes e endereços.

Em 10 de Dezembro são revelados e-mails embaraçosos entre a copresidente da Sony, Amy Pascal, e o produtor Scott Rudin, discutindo sobre Angelina Jolie, David Fincher, Andrew Garfield e outros atores de Hollywood.

Uma entrevista inconveniente

Ao que tudo indica, tudo começou por causa do filme “A Entrevista” (The Interview), quando seu trailer foi divulgado em 11 de junho. 9 dias após o lançamento oficial do trailer, as autoridades norte coreanas se pronunciaram à respeito do longa, alegando ser um símbolo do “desespero” da sociedade norte-americana.

Em 25 de junho as mesmas autoridades prometeram uma “resposta implacável”, e advertiram o governo dos EUA de que não impedir o lançamento do filme seria considerado um “ato de guerra”.

O GOP disse estar disposto ” a eliminar a Sony Pictures da face da terra”.

Quando as coisas começaram a complicar?

Logo após os dados dos funcionários serem divulgados, muitos deles começaram a ser ameaçados, e além disso, ex-funcionários do estúdio resolveram ingressar judicialmente, alegando que a Sony fracassou em “proteger seus sistemas informáticos e os dados de seus atuais e antigos funcionários”. Estrelas como Sylvester Stalone, Seth Rogen e James Franco também foram afetados.

Para piorar um pouco a situação em 16 de dezembro o GOP, ameaçou atacar as salas de cinemas aonde houvesse a exibição de A Entrevista. Em uma manobra rápida a Sony se pronunciou dizendo que os cinemas poderiam optar pela exibição do filme em suas salas. O GOP reforçou suas ameaças, fazendo com que as 5 maiores redes de cinema dos EUA se negassem a exibir o filme, o que levou o estúdio a se pronunciar no dia seguinte, cancelando a exibição do filme nos EUA. Ontem o estúdio se pronunciou novamente cancelando a estreia mundial do filme e disse que também não haverá o lançamento em DVD, Online e On Demand, “matando” assim o filme. Até o momento o ataque a Sony deve custar em média cerca de U$D 100 milhões de Dólares.

Barack Obama, Agências de Inteligência e Estrelas de Hollywood entram em ação

As agências de Inteligência dos EUA deram início a investigação e atribuíram o ataque a Coréia do Norte como se era esperado. O que mais surpreendeu foi a ligação do Governo Chinês com os ataques, apesar de o mesmo negar qualquer envolvimento.

Ontem em pronunciamento oficial, o Presidente dos EUA Barack Obama pediu calma em meio a novas ameaças de terrorismo.

Mas nem tudo se resume a ataques. Algumas grandes personalidades do cenário Hollywoodiano saíram em defesa da Sony. O Ator George Clooney fez uma petição de apoio ao estúdio, e solicitou que alguns colegas e outros estúdios assinassem. Com medo de possíveis retaliações a petição foi assinada apenas por ele e seu agente. Em uma entrevista exclusiva dada ao site Deadline Clooney deu a seguinte declaração:

“Devemos assumir nesse momento a posição ofensiva sobre esse ataque. Divulguem o filme online. Façam o que puderem para divulgar este filme. Não porque todo mundo tem que ver o filme, mas porque ninguém vai me dizer que não podemos ver esse filme”

Ele ainda disparou contra a mídia e contra as grandes redes de cinema.Os atores Ben Stiller, Steve Carell, Rob Lowe, o apresentador Jimmy Kimmel e o cineasta Judd Apatow,criticaram a decisão tomada pelas redes de cinema e pela Sony. George R.R. Martin, o autor dos livros que inspira a série Game of Thrones, disse estar disposto a ceder sua sala de cinema particular para exibir o filme. O escritor Paulo Coelho ofereceu US$ 100 mil pelos direitos da comédia “A entrevista” e prometeu divulgá-la gratuitamente em seu site. O autor usou seu Twitter para fazer a proposta, e ainda aproveitou para dizer que está disposto a encarar de frente qualquer tipo de retaliação.

Acontecimentos como esses são lamentáveis. Agora só nos resta aguardar as “cenas dos próximos capítulos”, e que estes não afetem drasticamente o cinema mundial e esperar que um motivo tão “banal” não traga essa “Guerra Virtual” para o “mundo real”.