Melhores filmes por década – Filmes dos Anos 20

Já pararam para pensar que todo ano o cinema lança inúmeras obras que ficam marcadas para a história desta arte? Desde o inovador movimento expressionista alemão até os blockbusters de Hollywood temos, no mínimo, um filme por ano para nos recordar. Pensando nisso nós da A Hora Do Filme decidimos listar filmes clássicos de cada ano, a partir de 1920 até 2015. Neste post vamos abortar os melhores filmes dos anos 20.

Antes de mais nada, a intensão não foi escolher os melhores de cada ano, mas sim, apenas recomendar uma boa obra de cada data.

 

1920. O Gabinete do Dr. Caligari, de Robert Wiene

O Gabinete do Dr. CaligariPara abrir a lista, o marco do expressionismo alemão. Ambientado num vilarejo holandês, o filme mostra um homem que aparentemente estava hipnotizado por 23 anos buscando saber o que aconteceu consigo enquanto é perseguido por seu hipnotizador, Dr. Caligari. Na minha opinião, não é o melhor longa expressionista, mas, sem dúvidas, é essencial para todo cinéfilo.

1921. Órfãs da Tempestade, de D.W. Griffith

Órfãs da TempestadeDurante a revolução francesa, duas irmãs são separadas por um aristocrata que demonstra interesse em uma delas e buscam se reencontrar depois de anos separadas. Esta foi uma obra importante para Griffith, que já tinha dirigido o polêmico O Nascimento de uma Nação (1915) e era tido como um cineasta revolucionário na época, usando artifícios de narrativa que mais tarde viriam a ser muito copiados.

1922. Nosferatu, de F.W. Murnau

NosferatuAtemporal! Aí sim temos o maior filme do Expressionismo Alemão. Na época, Murnau não conseguiu os direitos para adaptar a obra Drácula, de Bram Stoker e fez uma cópia descarada do vampiro mais famoso do mundo, com o nome de Nosferatu. Na trama, nada muito diferente, um vampiro em busca de poder se muda para Alemanha e se sente atraído por uma jovem. Um dos maiores filmes de terror de todos os tempos!

1923. O Homem Mosca, de Fred Newmeyer e Sam Taylor

O Homem MoscaOs filmes mudos de comédia faziam muito sucesso naquele tempo. Chaplin já era um mito do cinema, mas também houve muitos carismáticos atores que se destacaram no gênero. Entre eles cito Harold Lloyd e sua obra mais conhecida, O Homem Mosca. Um filme simpático de 70 minutos que te faz dar gargalhadas com um jovem do interior se atrapalhando na cidade grande. Hilário!

1924. Ouro e Maldição, de Erich von Stroheim

Ouro e MaldiçãoEste foi o primeiro filme a tratar do tema “O dinheiro corrompe o homem”. Quando uma mulher ganha um prêmio na loteria, ela vai se mostrando avarenta, despertando a inveja em seu primo e a ira em seu marido. Um filme necessário para todos adoradores de cinema, principalmente pelo tema que muito foi discutido ultimamente pela recente obra O Lobo de Wall Street (2013), de Martin Scorsese.

1925. O Encouraçado Potemkin, de Sergei M. Eisenstein

O Encouraçado PotemkinEsse filme já vale apenas pela cena do carrinho de bebê, copiada futuramente por Brian de Palma em Os Intocáveis (1987). O filme conta a história de de uma rebelião no Navio de Guerra Potemkin. O que começou como um protesto, gerou uma rebelião depois que foram servidas carnes estragadas aos marujos no jantar. Clássico!

1926. A General, de Buster Keaton

A GeneralEmbora prefira Chaplin, tenho que admitir que Keaton sabia construir cenas cômicas muito bem. Ao meu ver, é um filme superestimado, mas foi o que de mais relevante teve naquele ano. No filme, dirigido e protagonizado por Buster Keaton, este baseou-se em fatos reais, ocorridos durante a Guerra Civil americana, para falar sobre soldados da união que roubam a locomotiva General do exército confederado. É um filme que vale uma conferida.

1927. Metrópolis, de Fritz Lang

MetrópolisDói muito não colocar o maravilhoso Sunrise na lista, mas este é o revolucionário definitivo da Ficção Científica. Fritz Lang era um diretor visionário, e em Metrópolis ele imaginou o ano de 2026 dividido em classes de operários e elite: De um lado, os condenados a trabalhos forçados que são escravos das monstruosas máquinas que controlam a Metrópolis e do outro, os ricos e poderosos que vivem e comem bem. Quando o filho do criador de Metrópolis se apaixona por Maria, a líder dos operários, tem inicio a mais simbólica luta de classe já registrada pelo cinema.

1928. A Paixão de Joana D’Arc, de Carl Theodor Dreyer

A Paixão de Joana D'ArcUma das primeiras cinebiografias a serem valorizadas pelo cinema. A história de Joana D’Arc que resistiu à ocupação de seu país bravamente. Presa, humilhada, torturada e interrogada de maneira impiedosa por um tribunal eclesiástico, que a levou, involuntariamente, a blasfemar. É colocada na fogueira e morre por Deus e pela França. Um filme difícil, porém realista, mostrando que o cinema francês tinha muito para oferecer à esta arte.

1929. Um Cão Andaluz, de Luis Buñuel e Salvador Dalí

Um Cão Andaluz,OK! Não é um filme! É um curta de 5 minutos! Entretanto, ele é tão essencial quanto qualquer longa-metragem pois foi o primeiro exemplo de surrealismo que o cinema teve e que serviu de exemplo para diretores aclamadíssimos futuramente como David Lynch, David Cronenberg e Tim Burton. A tomada do olho sendo cortado continua sendo uma das mais impressionantes já feitas no cinema. Sonho? Realidade? Subconsciente? Este curta é uma aventura surrealista de Luis Buñuel e Salvador Dalí.

Comments

    Walter

    (January 12, 2017 - 1:24 pm)

    OK could you please find out title of a adventure film ,realized in Africa, about a expedition of europeans wich are captured by the niger afrikans and submitted to several dead games,one of there was a ridder and the jungle .Five mens start do run away followed by 4 (3 or 5) afikaner with arms(lanças)
    A would like to see again ,unhapilly I cannot find the title.Presume filmed years 50,already technicolor,also awayable in rent DVD houses

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *