Crítica | Divertida Mente (Inside Out, 2015)

Finalmente a autora que vos escreve neste presente review, resolveu falar de um filme não baseados em fatos reais. Vencedor do Oscar deste ano na categoria de Melhor Animação, o longa ficou literalmente, na cabeça de todos! Divertida Mente (Inside Out, 2015, EUA, comédia, animação, 94 min) é o resultado de que a Pixar voltou com força total, após dois anos sem produzir animações desde Universidade Monstros.

Sinopse:

Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle – e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.

Primeiramente, devo parabenizar (de pé) aos roteiristas Meg LeFauveJosh Cooley e o também diretor Pete Docter pelo o que equivale à obra máxima da produtora Pixar Animation. Para produzir o longa, eles consideraram até 27 emoções diferentes, mas decidiram por cinco (Alegria, Tristeza, Nojinho, Medo e Raiva) para tornar o filme menos complicado. Algumas das principais emoções que acabaram sendo cortadas, incluiam Surpresa, Orgulho e Confiança. Mas toda esta fantástica estrutura bolada por esses roteiristas, a respeito de como funcionam as emoções no nosso cérebro, está tão bem pensada e é tão bem elaborada que encanta até o mais ranzinza dos adultos.

25t4qh32yyvnr0gmmaegxb7dt

O filme conta a história de Riley, uma menininha alegre, cheia de amigos, e que adora hóquei, mas, está passando por uma fase turbulenta em sua vida. O pai dela acabou de receber um novo emprego em outra cidade, o que é muito bom pensando na vida adulta, mas isso mudou completamente a vida dela. Como ficam as amizades? A escola? Tudo virou de cabeça pra baixo! Por conta disso, conhecemos o complexo e maravilhoso mundo das emoções, por meio dos cinco personagens fofinhos da animação. E é a partir desse momento, nas mudanças dos sentimentos na cabeça de Riley, que as coisas saem do controle. Cabe então à Alegria e a Tristeza partirem juntas em uma aventura pelo mundo das emoções e das lembranças para colocar tudo de volta nos eixos.

19134528031215

Além daqueles ”baseados em fatos reais”, sou um pouco suspeita para falar sobre animações. Desde curtas, 2D e 3D, os desenhos são os meus preferidos e donos do meu coração. E sem contar que a junção da Disney com a Pixar é a parceria mais feliz que já vi em toda indústria cinematográfica. Por fim, me atrevo a dizer que – depois de Up! Altas Aventuras – Divertida Mente foi a melhor animação produzida nos últimos dez anos. Ele captura as crianças por cumprir uma função importante da ficção na infância: dar nome e consistência àquilo que não se consegue colocar em palavras. Apesar de ter vencido o Oscar deste ano, a animação não está mais em cartaz nos cinemas, porém, já têm cópias dubladas e legendas, para todos os gostos. Confiram!

Thais Muniz Author

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *